FAUNA – RELATÓRIO DIÁRIO DAS ATIVIDADES (JUNHO)

Laudos e Relatórios Disponíveis

Boletim-semanal-resgate-de-fauna-25-de-junho-a-1-de-julho.pdf

Boletim semanal resgate de fauna 25 de junho a 1 de julho

Boletim-semanal-resgate-de-fauna-18-a-24-de-junho.pdf

Boletim semanal resgate de fauna 18 a 24 de junho

Boletim-semanal-resgate-de-fauna-11-a-17-de-junho.pdf

Boletim semanal resgate de fauna 11 a 17 de junho

Boletim-semanal-resgate-de-fauna-4-a-10-de-junho.pdf

Boletim semanal resgate de fauna 4 a 10 de junho

Boletim-semanal-resgate-de-fauna-28-de-maio-a-3-de-junho.pdf

Boletim semanal resgate de fauna 28 de maio a 3 de junho

MPF MUDA PROFUNDIDADE DE PESCA NO Largo da foz do RIO DOCE

O Iema informa que, a partir do dia 1º de junho, fica proibida a pesca na área comprometida do Rio Doce entre Barra do Riacho, em Aracruz, e Degredo Ipiranguinha, em Linhares, dentro dos 20 metros de profundidade.

A nova decisão, proferida pelo Ministério Público Federal, na Vara Federal de Linhares, nos autos do Processo nº 0002571-13.2016.02.5004. A divulgação nova profundidade, que anteriormente equivalia a 25 metros, indica também novas coordenadas, delimitadas abaixo:

Limite norte: 19°17’S39°41’O
Limite sul: 19°49’50’’S 40°3’28’’

A medida mantem, no entanto, a permissão para pesca científica destinada às pesquisas na área e pode passar por revisões, de acordo com os resultados das análises técnicas oficiais.

IEMA

Em Construção

FAUNA – RELATÓRIO DIÁRIO DAS ATIVIDADES (MAIO)

FAUNA – RELATÓRIO DIÁRIO DAS ATIVIDADES (ABRIL)

Laudos e Relatórios Disponíveis

QUALIDADE DA ÁGUA DO RIO DOCE

O monitoramento da qualidade da água do rio Doce antes e após a chegada da pluma de rejeito de minério vem sendo realizado de forma sistemática e contínua após o rompimento da barragem de Fundão em Mariana/MG.

A composição da água e do sedimento encontrados não difere entre as coletas anteriores e posteriores à chegada da pluma de rejeito. Porém, as concentrações foram acentuadas. É possível a verificação da ausência de contaminantes externos à Bacia do rio Doce e que o carreamento trata de evento que acelerou o acesso de componentes naturais em curtíssimo período de tempo à calha do rio Doce.

Por meio dos resultados desse monitoramento sistêmico, considerando os resultados de coleta até o dia 24/11/15 (disponíveis em anexo), alguns elementos demandam a atenção dos entes envolvidos no gerenciamento, administração, regulação e fiscalização de atividades que dependam das águas do Rio Doce. Em especial os metais e metaloides analisados.

A concentração da lama vem variando, decaindo ao longo do tempo. Após a chegada da pluma em 18-11-15 foram observados os valores de turbidez em Colatina de 7000 a 800 NTU. Vale ressaltar que a qualidade da água sofre influência das chuvas na área da bacia hidrográfica e do regime de operação das barragens que existem ao longo da calha do rio.

Os parâmetros mais representativos em relação à composição da lama de rejeitos de minério, em especial os metais e metaloides: Antimônio, Arsênio, Bário, Cádmio, Chumbo, Cobre, Cromo, Mercúrio, Níquel, Selênio e Urânio, que causam efeito à saúde, e outros de efeito estético: Alumínio, Ferro, Manganês e Zinco previsto na legislação de potabilidade da água – Portaria MS 2914/11, foram analisados e os resultados avaliados quanto ao uso do manancial para abastecimento público.

Os metais presente na água encontram-se em sua maior parte na composição do material em suspensão. A solubilidade dos metais depende muito do valor do pH e do potencial de redução do meio, neste sentido, os valores a condição da água do rio não favorece o processo de dissolução desses metais.

Os resultados de metais nas amostras coletadas no Espírito Santo, bem como os retratados no Relatório do Monitoramento Especial realizado pelo Estado de Minas Gerais, indicam que as concentrações de metais não diferem significativamente dos resultados colhidos pelas CPRM em 2010.
(http://www.igam.mg.gov.br/component/content/article/16/1632-monitoramento-da-qualidade-das-aguas-superficiais-do-rio-doce-no-estado-de-minas-gerais)

A utilização do coagulante orgânico, extrato da Acácia Negra no processo de tratamento da água possibilitou a tratabilidade da água. Com o acompanhamento técnico operacional e os resultados das análises realizadas nos dias 23, 24, 25, 26, 27, 29 e 30 de novembro de 2015, em especial as de metais, nas ETAs que estão utilizando o rio Doce como manancial de abastecimento, podemos atestar que a água tratada e distribuída em Colatina, está apta para ser utilizada para consumo humano (destinada à ingestão, preparação e produção de alimentos e à higiene pessoal), pois atende ao padrão de potabilidade estabelecido na Portaria MS 2914/11 e não oferece riscos à saúde (conforme laudos anexos).

Governo-ESColatinaCesan

Faculdade-SalesianaSanear1Ministerio-da-Saude

Laudos e Relatórios Disponíveis

FAUNA – RELATÓRIO DIÁRIO DAS ATIVIDADES (MARÇO)

Laudos e Relatórios Disponíveis

INTERDIÇÃO DA PESCA AO LARGO DA FOZ DO RIO DOCE

O Iema informa que, por determinação da Justiça Federal, a partir de 22/2/2016, está proibida/interditada de forma excepcional e transitória a pesca na zona costeira ao largo da Foz do Rio Doce em função das alterações no mar decorrentes do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG).

Por determinação da Justiça Federal, o Iema estará divulgando e fiscalizando a interdição entre a Barra do Riacho, em Aracruz, e Degredo e Ipiranguinha, em Linhares, litoral Norte do Estado, dentro de 25 metros de profundidade, conforme as coordenadas geográficas abaixo:

Limite Norte: 19º17’S 39º41’O

Limite Sul: 19º49’50’’S 40º3’28’’

A pesca de qualquer natureza, com exceção a destinada à pesquisa científica, está interditada/proibida por tempo indeterminado, podendo ser revisto quando dos resultados das análises técnicas realizadas na região.

O Iema informa por fim que a regulação da pesca em zona costeira, nos termos da Lei Complementar 140, não é de competência deste Instituto, tratando-se então de uma determinação da Justiça Federal.

Governo-ES

 

FAUNA – RELATÓRIOS DIÁRIO DAS ATIVIDADES (FEVEREIRO)

Laudos e Relatórios Disponíveis

FAUNA – RELATÓRIOS DIÁRIO DAS ATIVIDADES (JANEIRO)

Laudos e Relatórios Disponíveis